Pivô Jason Collins estreia pelos Nets após assumir ser gay

O atleta de 35 anos foi aplaudido. E colegas disseram que ele foi bem recebido

O pivô Jason Collins, do Nets: retorno marcante à NBA
O pivô Jason Collins, do Nets: retorno marcante à NBA (Jeff Gross/Getty Images/AFP)
 
 O pivô americano Jason Collins fez história na noite de domingo. Veterano com 14 temporadas disputadas na NBA, ele estava sem contrato e voltou a atuar pela liga defendendo a camisa do Brooklyn Nets. Entre sua aparição anterior na NBA e agora, porém, uma coisa mudou: Collins anunciou que é homossexual. Com isso, ao entrar em quadra no jogo contra os Lakers, em Los Angeles, o atleta se transformou no primeiro jogador assumidamente gay a participar de uma partida da liga profissional americana. Os Nets venceram por 108 a 102 e Collins teve participação discreta: 11 minutos em quadra, nenhum ponto anotado, dois rebotes e cinco faltas cometidas. Ainda assim, sua atuação recebeu grande destaque na imprensa americana. Antes de Collins, o único gay assumido numa liga profissional americana foi Robbie Rogers, que atua pela equipe de futebol de Los Angeles, o Galaxy.
 
 A partida colocou frente a frente duas equipes com péssima campanha e que já não têm muito o que disputar no campeonato. Mas quando o técnico dos Nets, Jason Kidd, anunciou que Collins, de 35 anos, entraria em quadra, as atenções se voltaram para o ginásio Staples Center. Collins estava sem time e assinou um contrato de dez dias, um acordo comum entre as equipes da NBA que estão com jogadores lesionados e precisam de reservas por um curto período. Faltando 10min28s para o final do segundo quarto, Kidd mandou Collins para o jogo. O pivô foi aplaudido por torcedores de Los Angeles. O técnico disse que Collins será observado como qualquer outro jogador que recebe um contrato curto e se candidata a firmar um compromisso mais longo.

Kidd se negou a responder todas as perguntas que tratassem da orientação sexual do atleta: disse que só falaria de basquete. Segundo ele, a contratação do pivô foi decidida com base na experiência do atleta na NBA. Os jogadores dos Nets disseram que a chegada de Collins ao grupo foi positiva. O próprio Collins, que saiu do armário em maio do ano passado, disse que não tinha tempo para pensar demais no fato de estar quebrando uma barreira. "Senti a pressão por jogar uma partida da NBA, não por qualquer outra coisa", disse ele. Na temporada passada, ele defendeu o Boston Celtics e o Washington Wizards. Em 713 jogos disputados como profissional, ele tem médias de 3,6 pontos e 3,8 rebotes. Collins foi muito elogiado pelo presidente Barack Obama, um fã de basquete, quando decidiu assumir que é homossexual – foi até convidado de honra no último discurso do Estado da União.
 

0 comentários:

Postar um comentário

-->