"Eu não sou homossexual" - Macarrão em depoimento de entrega do Goleiro Bruno

O Brasil as vezes esquece de dar continuidade sobre um assunto muito relevante. E fica pergunta: deu em que? Mas, no caso da morte de Eliza, namorada do ex-goleiro Bruno foi diferente. A mídia continua acompanhando o desfecho da história.
Na madrugada desta quinta ( 21/11/2012), Macarrão - melhor amigo do goleiro Bruno, entregou o goleiro como mandante da morte de Eliza, deu detalhes sobre a morte e ainda falou das complicações de acharem que ele seria homossexual dentro da cadeia.
As 2h52 da manhã Macarrão desabafa: "Eu não sou homossexual. Eu tinha uma amizade e respeito muito grande por ele. Ele não ia falar, mas ele ia fazer essa tatuagem também. Eu fui muito humilhado dentro do sistema carcerário por causa dessa afirmação de homossexualismo. Eu me arrependo dessa tatuagem. Fui muito humilhado. O que sofri com essa tatuagem no sistema não tem indenização."  Macarrão faz esta declaração chorando muito.
Macarrão afirma também que quem inventou esta história de "romance homossexual" foi pelo advogado Rui Pimenta, destituído por Bruno na manhã de Terça ( 20/11/12). Ele diz ainda que Bruno ia fazer a mesma tatuagem que ele tem nas costas hoje, com a frase: "Bruno e Maka; a amizade nem mesmo a força do tempo irá destruir; amor verdadeiro." Macarrão enfatiza: "O que tinha entre a gente era uma amizade forte. Isso aqui é uma letra de uma música do Fundo de Quintal. Ele (Bruno) não vai falar, mas ele ia fazer a tatuagem também".

Em outros esclarecimentos, Macarrão disse que apenas serviu como motorista para a morte de Eliza - que nem ele mesmo sabia, que estava a levando para a morte, afinal o goleiro só pediu que ele a levasse para outra pessoa, mas ele afirma que estava levando Eliza para  a morte.

Fonte: Veja

0 comentários:

Postar um comentário

-->