Grupo #hacker fecha canal de 'filial' brasileira que teria atacado governo

Rede sofreu ataque de outro grupo hacker, que derrubou 8 servidores.
Documento atribuído ao Lulzsec revela nome de suposto líder no Brasil.


Twitter do LulzsecBrazil afirma que canal usado para comunicação do grupo havia sido suspenso (Foto: Reprodução) 
No Twitter, LulzsecBrazil afirma que canal IRC do
grupo havia sido suspenso (Foto: Reprodução)
O canal de comunicação pela internet usado pelo LulzsecBrazil, 'filial' brasileira do grupo hacker Lulzsec e apontado como o responsável pelos ataques que derrubaram sites do governo do Brasil na madrugada de quarta-feira, foi fechado por volta das 22h desta quinta-feira (23). A decisão foi tomada pelos administradores da rede que também hospeda o canal usado pela operação do Lulzsec original.
O canal se chamava “#LulzsecBrazil” e estava na rede AnonOps, que não tem relação direta com o Lulzsec estrangeiro, mas que ainda fornece serviços de comunicação ao grupo hacker. O motivo foi um ataque que a rede sofreu e que, segundo o operador com quem o G1 conversou, partiu de endereços brasileiros – mostrando que haveria a existência de algum grupo de ciberguerra contrário ao LulzsecBrazil.
Um possível indício do surgimento de um grupo de piratas contrários ao LulzSecBrazil é a divulgação de um documento que acusa um hacker de ser líder do movimento brasileiro. Ele seria Al3XG0, um conhecido criminoso digital envolvido com o roubo de senhas bancárias e cartões de crédito e que mantinha um site que pegava informações de brasileiros usando uma falha no site do Ministério do Trabalho. O documento indica também nome, RG e CPF de uma pessoa que, segundo o texto, seria o hacker Al3XG0. Há ainda um link para uma fotografia, supostamente do hacker.

O documento tem a assinatura do grupo Lulzsec internacional, mas não foi divulgado pela conta de Twitter oficial dos hackers estrangeiros. O G1 teve limitado contato com um membro do Lulzsec internacional, que não confirmou nem negou a autoria do documento. “O Lulzsec não responde”, ele disse. A filial brasileira se defendeu usando uma mensagem de apoio publicada na quarta-feira pela "matriz".
Ataques
O principal motivo da suspensão do canal teria sido um ataque que os servidores do bate-papo da AnonOps está sofrendo. A rede tem um total de 15 servidores, mas somente 7 estavam on-line devido ao ataque. Segundo um administrador da rede, o ataque está vindo do Brasil.
Os ataques, junto ao documento que está circulando na web, aponta para a existência de algum grupo de resistência “contra” o LulzecBrazil.
O documento diz que “[o hacker fundador Al3G0] conseguiu bastante atenção da mídia, mas o que ele não sabe é que ele está trazendo caos para qualquer operação séria – não estamos aqui para derrubar qualquer desgraça de site que vier à nossa mente”.
Al3XG0 estaria usando o nome de “SilverLords” nas operações do LulzsecBrazil. Segundo o documento, ele atua com o roubo de senhas bancárias e cartões de crédito no Brasil. A informação é apoiada no fato de que uma notória rede usada por criminosos ladrões de senhas bancárias estava disseminando as mensagens do LulzsecBrazil e apoiando o grupo.
Na quarta-feira, um administrador da rede “AnonOps” já havia entrado no canal do LulzsecBrazil para fazer perguntas sobre a atuação do grupo. Foi com esse mesmo administrador que G1 conversou.

http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2011/06/grupo-hacker-fecha-canal-de-filial-brasileira-que-teria-atacado-governo.html

 

0 comentários:

Postar um comentário

-->