Aprenda a adicionar um certificado digital em seu e-mail

Assinatura digital amplia a credibilidade no uso do e-mail.
Deixe sua dúvida ou sugestão na seção de comentários.

 

Certificação digital, é um meio eficiente de garantir a confidencialidade e a procedência durante a troca de mensagens (Foto: Divulgação) 
Certificação digital é um meio eficiente de garantir
a confidencialidade e a procedência durante
a troca de mensagens (Foto: Divulgação)
Contar com um mecanismo eficiente que contribua para ampliar a segurança na troca de e-mails, além de ser uma boa prática em segurança da informação, também pode reduzir significativamente os riscos de envio e recebimento de mensagens falsas. Além disso, dá uma garantia a mais quando os e-mails têm conteúdo confidencial. Nesta coluna irei falar sobre assinatura digital nos e-mails e sobre criptografia das mensagens usando clientes de e-mail gratuitos.
O uso do e-mail é uma das práticas mais ágeis de comunicação e troca de documentos, adotada largamente por profissionais, estudantes e empresas. Mas é preciso tomar algumas precauções para que o serviço, além de eficiente, seja protegido contra fraudes. Uma alternativa para ampliar a credibilidade no uso do e-mail é a assinatura digital do seu conteúdo. Por se tratar de um conceito amplo, usado em outras áreas que requerem a troca de informações, irei focar a coluna no emprego em mensagens eletrônica.
Como funciona
Para que um e-mail seja assinado digitalmente, é necessário contar com um certificado digital. Por meio dele, será possível assinar digitalmente os e-mails e enviar mensagens criptografadas aos seus destinatários. Ao enviar qualquer mensagem, ela poderá receber a assinatura digital. Porém, para que possa ser validada, o destinatário já deverá ter recebido previamente a chave pública para poder validar autenticidade e a procedência do e-mail.
Obtendo um certificado digital
Existem empresas que oferecem o serviço de certificação digital para necessidades mais complexas. Contar com uma consultoria especializada é providencial. Mas, para muitos casos, o mais apropriado é recorrer a serviços gratuitos que ofereçam a geração de um certificado digital totalmente gratuito. Após a sua obtenção, é necessário configurar o cliente de e-mail para que ele possa ser usado e adicionar assinatura digital nas mensagens.
Neste exemplo, irei usar o certificado digital obtido no site do Comodo. Após o preenchimento do formulário, será enviado um e-mail de confirmação para finalizar o cadastro e disponibilizar o arquivo com o certificado digital.
O site do Comodo adiciona em seu navegador o certificado digital válido, é recomendável que você faça um backup dele para que o arquivo que contém a chave possa ser utilizado em outros programas ou computadores.
Obtendo um certificado digital para ser adicionado nos clientes de e-mail (Foto: Reprodução)Obtendo um certificado digital para ser adicionado nos clientes de e-mail (Foto: Reprodução)
Adicionando o certificado digital
Para usuários do Outlook 2007, é possível adicionar o certificado digital recém-criado. Para isso, execute o programa. Nas opções de menu clique em Ferramentas>Central de Confiabilidade>Segurança de Email>Importar/Exportar. Localize o arquivo da assinatura digital. Será necessário informar a senha informada na criação do arquivo. Feito isso, se preferir, já pode deixar marcadas as opções de criptografar as mensagens na caixa de saída, assim como enviar a chave pública aos destinatários.
Adicionando certificado digital no Outlook 2007 (Foto: Reprodução)Adicionando certificado digital no Outlook 2007 (Foto: Reprodução)
O procedimento de configuração no Thunderbird é semelhante ao feito no Outlook 2007. Execute o programa, no menu de topo clique em Ferramentas>Opções>Certificados>Importar. Localize e selecione o arquivo que contém a chave privada e clique em “Ok”.
Adicionando certificado digital no Mozilla Thunderbird (Foto: Reprodução)Adicionando certificado digital no Mozilla Thunderbird (Foto: Reprodução)
Independente do programa de e-mail e da chave de criptografia escolhida, não existem sistemas 100% imunes a falhas. Mas quanto mais recursos de segurança forem empregados, mais protegidas estarão as suas mensagens eletrônicas. A coluna Tira-dúvidas fica por aqui. Se tiver alguma dúvida, deixe a sua mensagem na seção de comentários.
* Ronaldo Prass é programador de sistemas sênior e professor de linguagens de programação em cursos de extensão universitários. É ao mesmo tempo um entusiasta do software livre e macmaníaco. Nem por isso deixa de conferir o que está rolando nas outras tecnologias. Na coluna “Tira-dúvidas”, ele vai dar dicas para tornar o uso do computador mais fácil e divertido, além de responder as dúvidas dos leitores na seção de comentários.

 

0 comentários:

Postar um comentário

-->